Trabalhadores do Judiciário de Rondônia participam de movimento contra a reforma da Previdência

0

Atendendo ao chamamento do Sinjur (entidade sindical que representa os trabalhadores da Justiça Estadual), dezenas de trabalhadores do Tribunal de Justiça de Rondônia foram às ruas na manhã desta quarta-feira (15) para, junto a outros sete mil manifestantes (segundo dados da CUT), protestarem contra a Proposta de Emenda à Constituição nº 287/2016 (reforma previdenciária).

O presidente do Sinjur, Francisco Roque fez pronunciamento durante o ato e repudiou a iniciativa do Governo Federal. Segundo ele, a reforma é um acinte ao direito dos trabalhadores e uma afronta ao povo trabalhador. “Se essa reforma passar, muitos vão morrer sem alcançar a tão almejada aposentadoria, se alcançar, estarão tão velhos que não poderão gozar do merecido descanso”, lamentou Roque.

A passeata, que teve início em frente à Praça da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM), na região central de Porto Velho, seguiu pela Avenida 7 de Setembro, passou pela Marechal Deodoro e seguiu pela Avenida Carlos Gomes, parou em frente a Superintendência do INSS e em seguida foi até a Assembleia Legislativa do Estado. Nas Comarcas de Ouro Preto e Ji-Paraná também houve mobilizações.

O objetivo do ato, segundo Roque, é mostrar o descontentamento da população frente a tentativa do Governo de acabar com a aposentadoria. “A idade mínima de 65 anos para a aposentadoria para homens e mulheres, desconsidera critérios contributivos e atuariais, bem como a expectativa de vida do povo mais pobre, que dificilmente obterá a aposentadoria”, explica Roque, que critica também o aumento do tempo de contribuição.

Segundo o sindicalista, além de negligenciar a necessidade de um tratamento diferenciado às mulheres, que são submetidas a uma dupla jornada de trabalho, há a proposta de redução do valor geral das aposentadorias, sem consideração com os montantes de contribuição. “Essa proposta de reforma é uma flagrante violação da segurança jurídica e da proteção à confiança legítima, e atinge tanto o setor privado quanto o público. Estamos mobilizados contra a retirada de direitos. Não vamos aceitar mudanças nas regras da Previdência, essa é uma luta de todos, pois essa PEC 287 traz prejuízos extremamente danosos aos trabalhadores” afirmou o Presidente do Sinjur, Francisco Roque.

A FENAJUD esteve presente por meio do 2° Secretário, Israel Borges. A FENAJUD tem lutado tanto aqui em Rondônia como em Brasília, desconstruindo o discurso do Governo de rombo na Previdência. “Precisamos sim, cobrar os sonegadores de impostos e acabar com a corrupção, pois os trabalhadores e trabalhadoras não vão pagar essa conta”, finalizou Israel Borges.