Sinjur orienta servidores a não assinarem termo de opção de compensação das faltas publicado pelo TJRO

0

A Diretoria do Sinjur orienta os servidores que participaram do movimento grevista e que tem em seus assentamentos funcionais os dias de paralisação marcados como falta, a não aderirem ao termo de opção de compensação de faltas, publicado no Portal do Servidor.

 

Não é verdade que o Sindicato não se manifestou depois do dia 20/9!

 

No primeiro dia útil após o dia 20/9, foi enviado ao TJRO o Ofício nº 110/2013/PS, no qual solicita o cumprimento da Instrução N. 004/1999-PR e exclua dos dias contabilizados de paralisação: os finais de semana, feriados e pontos facultativos. No dia 10 de outubro, após ser convidado pelo Presidente do TJRO, a Diretoria do Sinjur participou de mais duas reuniões, uma na Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia, que contou com a presença do Presidente da ALE-RO, Deputado Hermínio Coelho e a outra, logo após, na Presidência do TJRO. No TJRO o sindicato solicitou a resposta do Ofício nº 110/2013/PS, enviado no dia 23/9. A resposta do Presidente do TJRO era que o ofício estava tramitando e estava na Conjur e que ele iria pedir celeridade para que pudéssemos finalizar essa questão pendente da greve e assim que tivesse resposta do ofício o Sinjur seria novamente chamado a participar de reunião para deliberar acerca desse tema.

 

Hoje (06) pela manhã, fomos surpreendidos pela publicação no Portal do Servidor, desse chamamento para adesão ao termo de opção, sem ao menos responder o Ofício nº 110/2013/PS. Portanto, a Diretoria do Sinjur orienta a não assinarem esse termo de opção, pois até o presente momento não houve essa resposta e a greve ainda está suspensa por decisão judicial do Desembargador Eurico Montenegro, não tendo sido nem declarada ilegal, mesmo após vários pedidos da PGE-RO.

 

“Caso a Presidência do TJRO se negue a cumprir a Instrução N. 004/1999-PR, mais uma vez entraremos com Mandado de Segurança contra atos ilegais praticados pela Administração do TJRO que insiste em não respeitar os nossos direitos”, afirmou o Presidente do Sinjur, Francisco Roque.

 

Veja abaixo o Ofício nº 110/2013/PS

 

Diretoria de Imprensa e Comunicação