SINJUR faz prognóstico e estabelece novas conquistas para 2022

0

O SINJUR fecha o ano marcado por vitórias retumbantes, mas também por momentos de enormes dificuldades com a pandemia.

O saldo é muito positivo, os sindicalizados estão satisfeitos, porém a gama de benefícios alcançada não caiu do céu.

Foi fruto de longas batalhas, persistência e diálogo franco, sobretudo, resiliência, diante dos percalços que se ofereciam no meio do caminho.
Mas o ano finda! Com ele, restaram metas já planejadas para 2.022, que certamente serão alcançadas, porque na retaguarda está uma diretoria atuante e, ao lado, uma soma de valores humanos apoiando cada conquista.

Para o ano que vem, as perspectivas são alvissareiras, e, passado o recesso forense, a diretoria pretende, de pronto, instituir a comissão que irá elaborar o PCCS.

A recomposição salarial de 2021/2022, é outra meta a ser batida.

O retorno do pagamento dos 89.22% está também no radar do SINJUR, além da Implantação do auxílio saúde para servidores inativos.

Já judicializados estão: a isenção banco de horas, o pagamento de adicional de irredutibilidade, pagamento de insalubridade/periculosidade e o não desconto para os servidores em home office.

E, por derradeiro, a reconsideração da decisão que determinou a restituição dos valores recebidos pelos servidores a título de gratificação temporária.

Como se vê, a luta continua, para honrar sempre a confiança que você depositou na atual gestão.

Gislaine Caldeira
Presidente