Servidora da Comarca de Ji-Paraná expõe obras na XVI Bienal Internacional do Livro

0

A servidora Luíza Marilac Almeida Teixeira de Oliveira, da Comarca de Ji-Paraná, é uma das escritoras de Rondônia que apresentaram em exposição as suas obras na XVI Bienal Internacional do Livro, no Rio de Janeiro, que chegou ao final no último domingo (08/09).

 

Na oportunidade, a autora visitou o Museu Nacional de Belas Artes e a Biblioteca Nacional onde fez depósito de duas de suas obras: “Tempo de Felicidade” e “Fraseando Palavras – Mostrando Belezas”. A Biblioteca Nacional, depositária do patrimônio bibliográfico e documental do Brasil, é considerada a maior biblioteca da América Latina e, pela UNESCO, como a sétima maior biblioteca nacional do mundo.

 

A participação de autores rondonienses na exposição, segundo avaliou membros do governo estadual, projeta a imagem positiva do Estado para o mundo. “Entre os 950 expositores na amostra, Rondônia é vista como um Estado rico na intelectualidade, história e literatura. Os escritores que estão expondo suas obras em um estande disponibilizado pelo Estado de Rondônia caracterizam a participação no evento como valorização da cultura local”, diz nota do Governo à imprensa.

 

Para o escritor e presidente da Academia de Letras de Rondônia (Acler/RO), Dante Fonseca, a participação de qualquer escritor em uma Bienal é uma oportunidade única de expor seu trabalho a um público amplo, principalmente para os escritores de Rondônia, por estarem mais afastados dos grandes centros.

 

“Parabenizo a companheira Luíza Marilac pela exposição, pois desta forma, engrandece a classe de trabalhadores e o nome do Estado de Rondônia”, afirmou o Presidente do Sinjur, Francisco Roque.

 

XVI Bienal Internacional do Livro

 

 

Entrega dos livros na Biblioteca Nacional

 

 

Diretoria de Imprensa e Comunicação