Novo horário prejudica servidores

0

Desde a última quinta-feira, 1º de novembro de 2012, o Poder Judiciário de Rondônia está funcionando com novo horário de trabalho, mas de forma alguma esta mudança no horário do expediente da Justiça Rondoniense está em consonância com o interesse do trabalhador do Judiciário ou com à eficiente prestação jurisdicional à sociedade organizada do Estado de Rondônia, pois, estes não estavam sendo prejudicados em decorrência da carga horária de trabalho de seis horas ininterruptas, a qual vinha sendo praticada há quase 30 anos e o TJRO era o mais eficiente do Brasil. Há um contrassenso na interpretação ofertada pela administração do TJRO, quando menciona que a mudança visa melhorar ainda mais o atendimento e concomitantemente a prestação jurisdicional, pois, se há prejudicialidade na eficiência, qualidade de prestação de serviços e queda nos índices de produtividade, isto decorre do aumento da demanda processual, face ao aumento populacional, e também em decorrência do reduzido número de trabalhadores constantes no quadro do PJRO. Por conta destas circunstâncias, notadamente, há uma sobrecarga de serviço para o trabalhador do Judiciário que se desdobra para realizar suas tarefas por dois ou mais servidores. Outro fato que depõe contra os objetivos da administração pública, é o impacto financeiro em razão do desnecessário aumento na jornada de trabalho no período da tarde. É inconcebível que neste momento em que o Governo do Estado faz reduções nas despesas orçamentárias e contingencia verbas dos demais Poderes e alertou que poderá realizar cortes ainda maiores nos seus orçamentos, a Administração do TJRO esteja fazendo o caminho inverso da economicidade de seus gastos, e aumentando suas despesas, com a implantação de novo horário que desagrada inteiramente a categoria dos trabalhadores do TJRO e que não atingirá a meta pretendida, pois o TJRO foi o Tribunal mais eficiente do país quando tinha a jornada de trabalho de 6 horas. Desconsiderando o fato dos trabalhadores exercerem jornada de trabalho corrida há quase 30 anos, e de que o PJRO está entre os mais eficientes e céleres do país, a administração impôs uma jornada exaustiva, que está longe de ser a alternativa mais viável para a sociedade, pois o trabalhador está descontente e insatisfeito com a nova jornada, o que com certeza irá refletir no atendimento e na prestação do serviço jurisdicional, atingindo toda a sociedade. Até o presente momento, o SINJUR apresentou à administração do TJRO todas alternativas possíveis, inclusive, exposição de motivos para que houvesse implantação de novo horário, assim como, observando o momento financeiro delicado pelo qual se encontra o orçamento do Estado, e por via de consequência, os Poderes constituídos.

Autor:
Fonte: www.SINJUR.org