Nota de Pesar

0

Os covardes morrem várias vezes antes da sua morte, mas o homem corajoso experimenta a morte apenas uma vez.

William Shakespeare

A morte, embora seja sócia da vida, é cercada sempre de um grande mistério, quando leva um ente querido. Por isso, é tão difícil lidar e superar a perda.

Hoje, o quadro de servidores da Justiça de Rondônia, teve uma baixa considerável e dela restou um grande vazio no peito de cada funcionário, uma dor lancinante, que a todos acometeu sem piedade.

Nosso irmão José Roberto Lourenço, aos 50 anos de idade, perdeu a batalha que travara com a Covid-19 há quarenta e cinco dias.

Desde o início da doença, ele demonstrava coragem e resiliência, e lutava como um forte e valente guerreiro resistindo a todas as dificuldades impostas pela doença, no silêncio de um hospital.

Quando os colegas tomaram conhecimento do momento hostil que vivia, se dobraram em correntes de oração, em várias Comarcas do Estado, para que ele sarasse e voltasse rapidamente são e salvo para o seu convívio familiar e dos amigos.

Mas o tempo foi passando e 45 dias se sucederam e ele continuava resistindo a sua mais forte batalha, até que esta noite sucumbiu.

A força que o fazia um guerreiro forte, por certo, vinha do imenso amor que demonstrou pelos seus filhos: Carlos Roberto Pereira Lourenço, 23 anos, Miguel Sanginez Zebalos Lourenço, 19 anos, Rafael Sanginez Zebalos Lourenço, 17 anos, Mikhaelly Zebalos Lourenço, 15 anos.

Cruel, é que neste momento de recrudescimento da pandemia, a dor da perda se torna ainda mais acentuada, pois, sequer, podemos dizer o “adeus” presencial velando seu corpo e rendendo homenagens a sua vida tão presente na nossa existência.

Os que o conheceram, certamente sabem dos atributos que deixou por aqui durante sua elogiável escalada terrena, seja como cristão fervoroso, ou seja como amigo fiel.
Os que não privaram do seu convívio, doravante tomarão conhecimento do quão especial era e do legado de dignidade e perseverança que deixou para todos.
Também restaram dele, a retidão do caráter, a abnegação de pai na criação de seus filhos, sobretudo, a oração de amor que escreveu e deixou registrada entre nós, no meio século de vida que privamos de sua amizade.

Em nome da família do Judiciário Rondoniense, deixo o meu abraço e o meu carinho à família do colega José Roberto, rogando a Deus que no aconchego dos seus braços, receba seu querido filho, e no calor de seu imenso coração, conforte a todos por essa imensa perda.

GISLAINE CALDEIRA
Presidente