I Encontro da FENAJUD em parceria com o SINJUR  realizado em Porto Velho,  foi aberto com sucesso

0

 

Foto: Gilmar Jesus

O primeiro dia do Encontro Norte e Nordeste da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário nos Estados- FENAJUD, em parceria com o SINJUR, que está sendo realizado nos dias 13 e 14/05, em Porto Velho, capital de Rondônia, foi aberto com absoluto sucesso, avaliam dirigentes das entidades participantes.

IDEALIZADORES DO EVENTO:

O evento é idealizado pelos coordenadores regionais Norte e Nordeste, Gislaine Caldeira e Luiz Cláudio de Oliveira, respectivamente, e tem como tema: “Lutas, Resistências e Vitórias”, dialogando sobre a pauta comum dessas duas regiões do país, celebrando os 33 anos de lutas e conquistas do Sindicato, completados em 13 de maio.

ABERTURA DO ENCONTRO:

O Encontro foi aberto pela presidente do SINJUR e coordenadora da região norte da FENAJUD, Gislaine Caldeira que, ao inaugurar sua fala, deu as boas-vindas às delegações de todo país aqui representadas, e fez um breve relato da trajetória de lutas e conquistas no decorrer de suas duas gestões à frente do Sindicato. “Saibam meus amigos, que a presença de vocês, nos honra, por isso que para nós está sendo uma festa”, ressaltou.

FALA DA PRESIDENTE DO SINJUR E COORDENADORA DO NORTE DA FENAJUD

Prosseguindo, Caldeira destacou o intercâmbio de experiências trocadas durante o Encontro dizendo: “É muito importante para as nossas entidades, nesse momento de turbulência política pela qual passa o país, discutir as nossas pautas em um palco como este, rico de experiências vividas por cada um de nós, dirigentes de entidades sindicais”. 

Como todo mundo sabe, eu gosto mesmo de falar o que sinto, por isso, vou dispensar o meu discurso”, sendo bastante aplaudida pelo gesto.

ANIVERSÁRIO DE 33 ANOS DO SINJUR:

Ao se reportar sobre a data de 13 de Maio, a presidente do SINJUR e coordenadora do norte da Fenajud, ressaltou: “Esta é uma data festiva para nós, porque marca os 33 anos de existência do SINJUR, refletidos na nossa luta de diária, para dar o melhor aos nossos associados. As batalhas de nossa vida diária, só terão resultados satisfatórios se arregaçarmos as mangas e ir irmos para o campo de batalha”.

FORMAÇÃO DA MESA DOS TRABALHOS  

A mesa de autoridades foi composta, além da dirigente do SINJUR, Gislaine Caldeira, pelo coordenador da região nordeste, Luiz Cláudio Oliveira, os coordenadores gerais da FENAJUD, Alexandre Lima Santos, Arlete Rogoginski e Janivaldo Ribeiro Nunes, além do ex-governador de Rondônia, Daniel Pereira.

Na sequência, a palavra foi franqueada ao palestrante magno da abertura do evento, o ex-governador de Rondônia, Daniel Pereira, que fez uma pequena manifestação, já que seria responsável pelo encerramento do primeiro dia de debates.

Inicialmente, ele manifestou sua satisfação em ser o convidado de honra do evento e pediu aplausos para sua terra natal, o estado Paraná, cuja representante, Arlete Rogoginski que se fazia presente.

DISCURSO DA COORDENADORA GERAL DA FENAJUD

Em seguida, a palavra foi concedida a representante do estado sulista, Arlete Rogoginski, e também coordenadora geral da Fenajud, que fez um registro das lutas coletivas da Entidade, ressaltou o trabalho dá conquistar  conquista de direitos e a facilidade como estes são perdidos. “Basta uma canetada”, enfatizou.

A palestrante usou uma máxima atribuída ao pensador moderno Ariano Suassuna – “O otimista é um tolo, o pessimista é um chato, e bom mesmo é ser um realista esperançoso”, sendo aplaudida.

O ideal, segundo ela, é saber a realidade; “esperançar”, e lutar com muita força, união e coragem, para o êxito de nossas lutas”, concluiu.

DISCURSO DO COORDENADOR GERAL DA FENAJUD

Na sequência, o coordenador geral da Fenajud, Alexandre Santos, fez uso da palavra e destacou que no último Encontro da Federação ocorrido no Estado da Bahia, ele e mais três companheiros da Entidade, conversavam sobre a integração das regiões norte e nordeste e foi daí se concebeu esse Encontro que se desenrola hoje em Porto Velho.

Santos aproveitou para destacar a importância do evento, sobretudo referindo-se ao dia 13 de Maio, dia de Abolição da Escravatura, ressaltando a luta dos negros na história do país que viveram sem emprego, sem moradia e foram empurrados de forma abrupta para as periferias do Brasil.

Segundo Alexandre, hoje vivemos os reflexos da luta dos negros, em um país injusto e desigual, destacando que a FENAJUD, para diminuir essa desigualdade brutal, tem dois diretores negros exercendo cargos de destaque e de maior representatividade que são: ele próprio e o coordenador Genivaldo Ribeiro.

Alexandre criticou a formação do corpo administrativo do Judiciário Brasileiro. Segundo ele, existe uma verdadeira exclusão de negros em seus quadros. “Estamos nadando contra as correntezas normais, da estúpida desigualdade que existe no Brasil”, concluiu.

FALA DO COORDENADOR JANIVALDO

A seguir, Janivaldo Ribeiro Nunes, usou da palavra para falar de sua história na FENAJUD, registrando que o dia 13 de Maio é uma data emblemática, também, por comemorar os 33 anos do SINJUR. “Se formos observar a história, percebemos que o surgimento dos sindicatos é demonstração de liberdade e de emancipação na luta pela classe trabalhadora. É um marco histórico que merece o nosso estudo”, enfatizou.

Disse, emocionado por fim, que a presença de dois negros e uma mulher na coordenação da FENAJUD, é também uma construção de reparo a histórico.

FALA DO COORDENADOR DAFENAJUD NA REGIÃO NORDESTE

Luiz Cláudio Oliveira – Coordenador da região nordeste, usou da palavra e agradeceu a anfitriã, Gislaine Caldeira pela receptividade e fez referências as lutas que a Federação abraça por uma vida melhor e foi enfático: “A Reforma da Previdência do Estado da Bahia, foi pior que a Reforma Federal”.

DISCURSO DO SINDALISTA E EX-GOVERNADOR DE RONDÔNIA

No encerramento do Encontro, foi a vez do convidado de honra da solenidade, Daniel Pereira, ex-governador de Rondônia, fazer uso da palavra.

Ele iniciou sua fala parabenizando pela iniciativa de realização do Encontro na capital de Rondônia. Falou de sua trajetória na condição de migrante vindo do Paraná para fincar seus quartéis neste Estado, e destacou o acolhimento que Rondônia e sua gente dispensam para as pessoas que por aqui aportaram vindas dos mais longínquos pontos do país.

 Pereira finalizou seu discurso, dando conhecimento aos presentes de sua trajetória como sindicalista, até chegar ao cargo de Governador do Estado.  “Este Encontro, presidente Gislaine e senhores coordenadores da FENAJUD, registra uma data histórica para o SINJUR, mas marca, também, a abolição da escravatura significando dizer, liberdade e conquistas de um povo”, concluiu.

O Encontro teve a participação de representantes de todos os Estados, situados nas regiões norte e nordeste.

Confira mais fotos: