Diretoria do SINJUR se reúne com Presidente do TJRO

0

Na tarde de sexta-feira (15/02) o presidente do SINJUR, Francisco Roque e os diretores Vladir Carvalho, Chagas Teixeira, Cristian Mar e ainda o Assessor Jurídico do sindicato, Dr. Edson Pinto, participaram de uma reunião no TJRO com o Presidente do órgão, Desembargador Roosevelt Queiroz Costa, para discutir questões relacionadas aos trabalhadores do Judiciário do Estado.

 

Diversos assuntos foram colocados em discussão, todos relacionados aos direitos dos trabalhadores. Os assuntos abordados foram os itens da Pauta Anual 2013.

 

Reposição salarial

A Diretoria do SINJUR, munida do Relatório de Gestão Fiscal do TJRO, onde constam todas as informações sobre as receitas e despesas do órgão, após fazer os argumentos quanto ao custo de vida que vem aumentando consideravelmente a nível nacional, como é o caso do combustível, cesta básica, e outras despesas, que foi amplamente anunciado pelo Governo Federal e órgãos de comunicação, apresentou uma proposta de reposição salarial mais ganho real para os trabalhadores. A proposta feita pela diretoria foi de 10%, sendo 5% em abril e 5% em setembro. O Desembargador ficou de analisar a proposta com a equipe técnica do TJRO para só então poder dar alguma resposta para o sindicato. Segundo o Presidente do TJRO: “haverá nomeações de novos magistrados e novos servidores, e só após a análise do impacto que as nomeações causarão na folha de pagamento é que será possível ter o índice real da possível reposição salarial”.

 

Auxílio Saúde

Em relação ao Auxilio Saúde, foi apresentado pelo SINJUR, uma proposta para que o valor aumente de R$ 150,00 para R$ 250,00, de maneira que possa contemplar melhor os trabalhadores, visto que os valores dos planos de saúde também sofrerão reajustes. O Desembargador disse que determinará que equipe técnica faça o estudo necessário, também para verificar o impacto que causará no orçamento do TJRO.

 

Anuênio

O pagamento dos Anuênios também foi tratado e de acordo o Desembargador Roosevelt, o TJRO está refazendo todos os cálculos para que possa retornar com os pagamentos, reafirmando que já foram efetuados todos os pagamentos humanitários, ou seja, todos os trabalhadores acometidos com algum problema de saúde, já receberam este recurso e em breve será pago a última parcela.

 

89,22%

Já em relação a diferença salarial 89,22%, o presidente do TJ manteve o posicionamento sobre o processo Judicial e a necessidade de aguardar a decisão judicial da ação, mas adiantou que existe uma reclamação Administrativa que será distribuída nos próximos dias. A Diretoria do SINJUR esteve reunida com os advogados Anísio Grécia e Sílvio Medeiros, tratando sobre a essa ação judicial. Os advogados disseram que ingressarão com uma petição no juízo, solicitando que não seja realizada a perícia, pois já consta nos autos os valores calculados pelo próprio TJRO.

 

Horário

A mudança de horário foi outro questionamento e segundo o presidente do TJRO, ele pretende rever a questão da jornada de trabalho levando ao pleno até o meio do ano.

 

Transposição

Foi questionado também sobre o posicionamento do órgão em relação à transposição. O presidente Roosevelt informou que o TJ já está analisando a minuta da Instrução Normativa, para ter conhecimento dos pontos positivos e negativos para os trabalhadores do Judiciário que devem ser beneficiados com a transposição, disse que, nos próximos dias, pretende fazer uma reunião com os membros da Comissão Interestadual e com a PGE para se inteirar e ter mais informações concretas para a categoria. O Presidente do SINJUR, Francisco Roque, protocolou ofício solicitando cópia dos documentos que estão sendo solicitados pelo consórcio de advogados.

 

Banco Cruzeiro do Sul

Na reunião foi discutida também a situação do Banco Cruzeiro do Sul. A Juíza Auxiliar da Presidência, Dra. Úrsula, informou que representantes do Banco Central, que estão na administração do Banco Cruzeiro do Sul, estiveram reunidos no TJRO e após vários questionamentos feitos pela Administração do TJRO, solicitaram que os valores descontados dos trabalhadores que possuem empréstimos consignados, sejam depositados em uma conta do Banco Central, o que já vem sendo feito, segundo informações da Dra. Úrsula. Em relação aos trabalhadores que querem fazer renegociação ou quitação do saldo devedor, a juíza Úrsula informou que vai determinar que o setor de comunicação do TJRO informe através do site institucional os canais de comunicação, pois o próprio Banco Central deixou essas informações (endereço, telefone, etc.) na presidência do TJRO, para que esse atendimento seja realizado.

 

Ficou acordado com o Presidente do TJRO que uma nova reunião acontecerá na primeira quinzena de março.